Música – Tetê Espíndola faz sua primeira live solo nesta quarta

Screenshot_2020-09-02-10-33-30-1.png

O sul-mato-grossense e fãs de todo o país poderão reviver o passado e o presente musical dessa que é sem dúvida a dona da voz mais diferenciada e afinada do país. A campo-grandense Tetê Espíndola, através do Sesc São Paulo (Projeto Música em Casa com o Sesc) estará fazendo nesta quarta-feira (2), às 19 horas (horário Brasília) e 18 horas de Mato Grosso do Sul, sua primeira Live. Ela será realizada dentro de sua residência como a maioria dos grandes artistas brasileiros está fazendo. Tetê e sua craviola que toca há mais de 40 anos, estará relembrando velhos sucessos e novas canções. A Live será transmitida pelo Instagram.com/sescaovivo e também será pelo youtube.com/sescsp.

Tetê Espíndola disse exclusivamente ao Blog do Alex Fraga que está com boas perspectivas para essa primeira Live. “É uma live solo e o Sesc está chamando alguns artistas para fazer mais ou menos uma hora e meia de show. Acho que essa minha primeira apresentação vai dar uma hora e dez no máximo que preparei. Será somente eu com a craviola e vou cantar música antigas, conhecidas do público e músicas novas que nunca foram cantadas. É óbvio que os sucessos também, pois não podem faltar. São 40 anos de discografia e 45 anos que eu toco craviola. Com certeza será muito interessante e espero todos!”.

A cantora, compositora e instrumentista, ícone da MPB, tem 19 álbuns em sua discografia. Tetê adotou a craviola como companheira desde sua adolescência (instrumento de 12 cordas, idealizado pelo violonista Paulinho Nogueira), e é uma das raras instrumentistas a adotá-la. Em consonância com sua amplitude vocal, o timbre deste instrumento folk, que remete ao cravo renascentista, veio de encontro ao seu universo musical e reforçou o desenvolvimento de sua estética tão personalizada.

Ao longo de 40 anos de carreira ganhou prêmios, como o de Revelação da Associação de Críticos Paulistas (1982) com o disco emblemático “Pássaros na garganta”. Em 85, ganhou o Festival dos Festivais com a canção, “Escrito nas Estrelas” que lhe valeu um disco de ouro e se tornou um clássico da música brasileira. Já viajou pelo Brasil e mundo em carreira solo e também ao lado do Duofel (Fernando Melo e Luiz Bueno), violonistas que formavam na época um afinado trio com Tetê. Já dividiu palco, gravações e composições com inúmeros artistas, entre eles Ney Matogrosso, Itamar Assumpção, Arrigo Barnabé, Clementina de Jesus, Zé Ramalho, Egberto Gismonti, Alzira E, Zeca Baleiro, Hermeto Pascoal, Zélia Duncan, Almir Sater, além de seus irmãos Geraldo, Celito e Jerry Espíndola. Seu repertório habitual abre um leque experimental que vai da música de raiz com polcas, guarânias do Centro-Oeste brasileiro, grandes clássicos da MPB e músicas como “Escrito nas Estrelas”, “Vida Cigana” e “Na Chapada”.

**********

Fonte : Blog do Alex Fraga 

Com Intercâmbio Cultural via site www.guiadefatos.com.br 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top