Covid-19: retorno de aulas presenciais é controverso nos estados

Screenshot_2020-09-08-07-41-01-1.png

Amazonas saiu na frente e retomou atividades presenciais em agosto.

Com a redução da incidência e mortalidade pela covid-19 em parte dos estados brasileiros, a discussão sobre o retorno das aulas presenciais ganha força. O Amazonas saiu na frente e iniciou as atividades presenciais nas escolas ainda em agosto. Mas em diversos estados a retomada ainda gera polêmica.

Região Centro-Oeste

Distrito Federal

Pelo Decreto No 41.170, salas de teatro e de cinema poderão reabrir, mas deverão obedecer a uma série de obrigações. Quem for frequentar esses espaços tem de utilizar as máscaras de proteção facial. Os donos desses estabelecimentos devem disponibilizar produtos de higienização para mãos, como álcool em gel.

Será necessário manter distância de uma fileira desocupada entre cada fileira com pessoas. Poltronas e aparelhos de ar-condicionado precisam passar por limpeza obrigatória. Já a venda de ingressos, em geral feita em guichês nos locais dos cinemas (e conhecidas pelas filas), terá que ser realizada somente pela internet.

As piscinas também ficam autorizadas para reabertura, mas somente para treinos, e não para recreação. Também foram instituídos limites para uso das raias, com uma de distância entre cada utilizada.

O decreto também flexibilizou as regras relativas às igrejas. O GDF já havia autorizado a celebração de eventos e cultos nesses espaços. Mas havia a exigência de um tempo de pelo menos duas horas entre cada atividade. Com a nova norma essa obrigação foi excluída. Nas academias, o decreto autorizou aulas coletivas e o funcionamento de bebedouros e chuveiros. Mas permanecem limites, como a obrigação de manter a distância de uma pessoa a cada 4 metros quadrados.

O Comando Conjunto Planalto, formado por integrantes das Forças Armadas, realiza a descontaminação da Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida – Catedral de Brasília, como parte das ações de combate e enfrentamento ao novo Coronavírus
Comando Conjunto do Planalto em trabalho de descontaminação na Catedral de Brasília Marcello Casal Jr/Agência Brasil

As demais atividades comerciais já estão funcionando, de acordo com o plano de reabertura iniciado em junho com alguns segmentos e que teve em julho a autorização de estabelecimentos comerciais em geral.

Goiás

Em Goiás, segue vigente o Decreto nº 9.700, publicado no dia 27 de julho, que suspendeu a quarentena intermitente (14 dias fechados e 14 dias abertos) e prorrogou a abertura por tempo indeterminado de todas as atividades econômicas cuja autorização havia sido fixada em decreto anterior e perderia a validade. Mas as prefeituras possuem autonomia para implementar regras próprias.

Bares e restaurantes podem funcionar, embora com limite de 50% da capacidade. Eventos esportivos, como jogos de futebol, também são permitidos, mas sem participação de torcedores. A norma manteve a proibição de eventos públicos ou privados com aglomerações, como cinema, teatro, boate, salões de festa, clubes recreativos e áreas comuns de condomínios. Seguem também sem funcionar presencialmente aulas das redes pública e privada.

A norma prevê, no entanto, que as prefeituras podem definir medidas próprias de distanciamento social. Em outra decisão, o governo anunciou que os parques estaduais e unidades de conservação ambiental passaram a funcionar no dia 10 de agosto. Foram mantidas regras de prevenção, como obrigação do uso de máscaras e manutenção de distância mínima entre os visitantes para evitar aglomerações.

O governo de Goiás criou uma secretaria específica para as medidas de retomada, em lei assinada no dia 4 de agosto. O órgão vai coordenar as ações de fomento às atividades econômicas para mitigar os impactos negativos da pandemia.

Mato Grosso

Comércio e atividades não essenciais em Mato Grosso estão autorizados a funcionar desde que atuem com apenas 70% da capacidade e adotem medidas preventivas à transmissão do novo coronavírus. Também estão autorizados eventos sociais com no máximo 100 pessoas, eventos corporativos, empresariais, técnicos e científicos, com no máximo 200 pessoas, eventos realizados no formato drive in, com capacidade máxima de até 500 carros.

Continuam proibidas qualquer atividade de lazer ou evento que cause aglomeração, tais como shows, jogos de futebol, casa noturna, festas e confraternizações familiares, ainda que realizadas em âmbito domiciliar.

No estado também já podem abrir cinemas e teatros, respeitando a capacidade de 40% da lotação e o espaçamento de 1,5 metro entre as pessoas. Ainda estão autorizados jogos e treinamentos de futebol profissional, sem a presença de público.

Na capital, Cuiabá, também estão autorizadas a utilização dos espaços de uso comuns dos condomínios residenciais e o retorno das atividades presenciais da educação infantil somente nas unidades de ensino privadas.

Em Mato Grosso continuam em vigor os decretos nº 573 que determinam as regras de contenção da propagação do novo coronavírus nos municípios, principalmente os que estão classificados como “risco alto”, ou “muito alto” de contágio e leva em consideração a queda da média móvel de casos confirmados da doença e de hospitalizações, além da abertura de novos leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI).

Mato Grosso do Sul

 

Dos 79 municípios em Mato Grosso do Sul, 12 estão na faixa de risco tolerável (amarela), 45 no grau médio (bandeira laranja) e 22 no grau de risco alto (bandeira vermelha). A capital, Campo Grande, está classificada no grau alto de risco.

Nos municípios que estão na faixa de risco tolerável (amarela) são permitidas atividades essenciais e não essenciais de baixo, médio e alto risco, como academias, cabeleireiro, barbearia, salões de beleza e afins. Nas cidades de grau médio de risco (bandeira laranja) são permitidas atividades como comércio e bares. Nos municípios considerados de risco alto (bandeira vermelha), são permitidas apenas atividades essenciais e não essenciais de baixo risco como serviços de ambulantes e profissionais liberais. No grau extremo (bandeira preta), apenas atividades essenciais podem abrir.

As atividades que envolvem aglomeração de público continuam não recomendadas em todo o estado.

O estado segue o Programa de Segurança e Saúde na Economia (Prosseguir), que divulga o grau de risco dos municípios em uma escala que vai de baixo a extremo, e traz recomendações de medidas no âmbito da saúde pública, de serviços públicos e do social.

**********

Fonte : Por Jonas Valente, Ludmilla Souza e Akemi Nitahara – Repórteres da Agência Brasil – Brasília

Com Intercâmbio via site www.guiadefatos.com.br 

Foto: Marcelo Camargo – Agência Brasil.

Edição: Denise Griesinger/Lílian Beraldo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top